quinta-feira, 9 de julho de 2009

Marley e eu

Como sempre quando tenho algo na cabeça (momento meio dificil este rs) eu gosto de vir aqui e escrever e escrever, ainda que por muitas vezes o que eu tenha escrito não venha a ser lido, mas eu preciso rs.

Depois de 2 tardes lendo Marley e Eu, terminei de devorá-lo hoje, em meio ao meu trabalho e disfarçando as lágrimas que não queriam parar de correr.

Sei que já foram vendidas milhares de cópias deste livro, mas com o lançamento do filme, acredito ter estragado toda a magia do livro, confesso que preferi ler antes de assistir, e hoje decidi definitivamente que paro por aqui...Esquecerei completamente que fizeram um filme.

Estou encantada com a magia que esse livro passou, com as cenas que o autor John Grogan teve o poder de transpor para essas páginas. Ri e chorei muito, em tamanha intensidade que fiquei surpresa...

Muito bom ver alguém detalhar com tanta afinidade, o amor que recebia, e os momentos que vivia com seu amigo cão. O melhor amigo que podemos ter em nossa vida.

Sempre adorei animais, e sempre os respeitei muito, e também sempre sonhei com um labrador só meu, ainda não pude ter um mas pretendo e quero muito...

Espero do fundo do meu coração que pessoas que não gostem de bichinhos tenham a oportunidade de se deparar com esse livro (falo livro por que não creio no poder do cinema em melhorar um livro e sim em deixar a história sem graça) a fim de mudarem seus pensamentos e sentimentos em relação aos nossos amiguinhos de quatro patas... e que conheçam um amor sem igual.

Para quem não leu deixo a minha indicação como um livro que pode ser facilmente devorado e apreciado e para quem leu, espero que realmente tenham tido a mesma impressão que eu, de estarem mais sensibilizados para o mundo que nos espera.

Beijinhos a todos

Liane Abud


Marley com seu dono o jornalista John Grogan

2 comentários:

*Teresa Cristina* disse...

Bem , infelizmente não tive a sorte de ler o livro, mas ví o filme, aprecio muito mais um livro, mas o filme não me furtou de chorar e rir a beça também....de fato como é interessante a relação que temos de apego, carinho e respeito com estes bichinhos de 4 patas, que quando mal chegamos em casa vem com aquelas patas fofas e sujas pra cima da gente.....e o fucinho gelado....lambidas intermináveis.....é uma obra que faço coro junto a ti, simplesmente:FANTÁSTICO!!!

angella disse...

Derramei rios de lágrimas com esse livro, terminei hoje e ainda não assisti ao filme.